Crossroads – dicão de filme!

Corria o ano da graça de 1986. O Rio de Janeiro ainda era lindo. O primeiro (e, para quem esteve lá, o ÚNICO) Rock in Rio tinha acabado de acontecer.…

Continuar Lendo

O que eu penso que o Bolsonaro realmente quis dizer com “eu quero que o povo se arme”

Não, eu não disponho de poderes paranormais que me permitam adivinhar pensamentos. Muito menos possuo procuração para defender o presidente – até porque o que ele disse não carece de…

Continuar Lendo

Ditados

“Pão quente, muito na mão e pouco no ventre” Já dizia o dito popular. E quem sou eu para desdenhar da sapiência do povo simples, mas, com sua licença, amigos…

Continuar Lendo

O Brasil é meu ex-amor

– oi… e aí, como ‘cê tá? Olha, a gente precisa MESMO conversar… então, sabe o que é? Você é uma MARAVILHA, mas não dá mais, viu? O problema não…

Continuar Lendo

O trabalho mais difícil de Hércules, a cloroquina e os nematelmintos morais

Imagem: Gerard van der Gucht Todo mundo já ouviu as lendas sobre os Doze Trabalhos de Hércules. E um dos mais pesados – e com certeza o mais sujo –…

Continuar Lendo

Essa é a imagem mais bonita que você vai ver hoje

Estamos em junho de 1944. A 1a Divisão de Infantaria do exército americano embarca no porto inglês de Weymouth, a caminho da Normandia, na França. Onde será travada a batalha…

Continuar Lendo

Reflexão sobre “amigos” virtuais

Descobri que não sou digno de ser amigo de algumas pessoas que estão na minha página. E, por conseguinte, delas vou me retirar. Sem drama, pessoal. Quando me excluo da…

Continuar Lendo

Fátima (uma oração)

Salve, Rainha. Porque hoje é teu dia, e porque todos os dias são teus, na verdade. Pois, quanto a mim, que sou só um pequenino, Tantas vezes sozinho, tantas vezes…

Continuar Lendo

A Dra. Janaina Paschoal disse que o presidente é inocente no caso Moro

Sim, amigos e vizinhos: é isso aí mesmo. Não, eu não bebi uma gota – a não ser que vocês considerem o café: já estou na segunda xícara. Nessa altura…

Continuar Lendo

Não importa o tirano: a Liberdade sempre dará um jeito de desobedecer

Eu tinha 14 anos quando comecei a trabalhar. Não falo para me jactar (toma aí um “jactar” logo cedim, toma!). Para os padrões da época, final dos anos 70, comecei…

Continuar Lendo